ralphlaurenpoloukshops.org ralph lauren uk
Oswaldo Montenegro


Oswaldo Montenegro estreia nova turnê “Serenata” em 

São Paulo, dia 20 de janeiro de 2018, no Espaço das Américas  

 

Oswaldo Montenegro em “Serenata”

 

A serenata marcou a vida de Oswaldo Montenegro. Toda semana, seus pais, rodeados dos boêmios de São João Del Rei, saiam pelas ruas cantando e parando embaixo de uma janela amiga que, dali a quatro acordes era aberta e, em seguida, a porta escancarada convidava a todos para um café, pão de queijo, carinho e mais canções dentro da residência escolhida. Montenegro se tornou músico por isso e liga, até hoje, a arte à amizade e ao afeto.

Esse show é composto por músicas que ele fez influenciado por esse ambiente. A formação de dois violões, flauta e bandolim, também remete às noites enluaradas de Minas Gerais.

Por ter morado em Brasília, escreveu músicas em vários ritmos, para inúmeras trilhas de teatro, cinema, balé, mas o “Serenata” é um show formado pelas canções que ele cantaria numa ruela pouco iluminada dos caminhos de sua infância, nos caminhos da infância que os seresteiros da cidadezinha povoaram de poesia.

Esse espetáculo foi criado pela necessidade urgente de Oswaldo retornar para um lugar do passado que, se o ritmo frenético da cidade grande não permite que aconteça, dentro dele, e de quem for assistir, está mais vivo do que nunca. 

 

Oswaldo Montenegro em "Nossas Histórias" (BANDA)

Misturando o peso das guitarras, teclados, baixo e bateria com o som clássico da flauta, “Nossas Histórias” é um show em que Oswaldo Montenegro toca suas músicas mais conhecidas, comemorando quarenta anos de parceria com a flautista Madalena Salles.

 

“Bandolins”, “Lua e flor”, “Metade”, “Estrada nova”, “A lista”, “Intuição”, “Léo e Bia”, “Estrelas”, “Sem mandamentos”, “Travessuras” e tantas outras se incorporaram ao inconsciente coletivo do público brasileiro de forma definitiva e, na maioria delas, o solo da flauta foi composto simultaneamente com a melodia e a letra, sendo impossível pensar nessas canções sem lembrar as introduções e os solos. 

 

      Nessas quatro décadas de convívio, Montenegro e Madalena trabalharam em mais de trinta espetáculos teatrais, três longas-metragens, séries para TV, espetáculos de dança, e viveram infinitas histórias, retratadas no repertório que apresentam nesse espetáculo. No seu canal do YouTube, lançaram a websérie “Nossas Histórias”, que emprestou o título para essa turnê e na qual contam algumas dessas histórias que viveram juntos - as mais importantes, as mais engraçadas, as mais emocionantes.

 

Nesses novos tempos de internet, músicas como “A vida quis assim”, “A porta da alegria”, “Eu quero ser feliz agora”, “Me ensina a escrever”, “Sim” (trilha do seu novo filme “O perfume da memória”), “A lógica da criação” (trilha do seu segundo longa, “Solidões”) e outras, acabaram ficando famosas e atingindo milhões de acessos em seus clipes.

 

Como uma surpresa para os fãs que acompanham essa trajetória desde o início, o show conta com a participação especial de Zé Alexandre, amigo desde a adolescência, em Brasília, excepcional cantor que gravou “Bandolins”, “Estrelas” e outros grandes sucessos de Oswaldo. Os dois, agora, se reencontram no palco depois de 30 anos. 

 

 

 

 

Oswaldo Montenegro em “Nossas Histórias” (DUO)

Oswaldo Montenegro e a flautista Madalena Salles

 

"Nossas Histórias" é um show em que Oswaldo Montenegro toca suas músicas mais conhecidas, comemorando quarenta anos de parceria com a flautista Madalena Salles.

 

“Bandolins”, “Lua e flor”, “Metade”, “Estrada nova”, “A lista”, “Intuição”, “Léo e Bia”, “Estrelas”, “Sem mandamentos”, “Travessuras” e tantas outras se incorporaram ao inconsciente coletivo do público brasileiro de forma definitiva e, na maioria delas, o solo da flauta foi composto simultaneamente com a melodia e a letra, sendo impossível pensar nessas canções sem lembrar das introduções. 

 

      Nessas quatro décadas de convívio, Montenegro e Madalena trabalharam em mais de trinta espetáculos teatrais, três longas-metragens, séries para TV, espetáculos de dança, e viveram infinitas histórias, retratadas no repertório que apresentam nesse espetáculo. No seu canal do Youtube, lançaram a websérie “Nossas Histórias”, que emprestou o título para essa turnê e na qual contam algumas dessas histórias que viveram juntos - as mais importantes, as mais engraçadas, as mais emocionantes.

 

Nesses novos tempos de internet, músicas como “A vida quis assim”, “A porta da alegria”, “Eu quero ser feliz agora”, “Me ensina a escrever”, “Sim” (trilha do seu novo filme “O perfume da memória”), “A lógica da criação” (trilha do seu segundo longa, “Solidões”) e outras, acabaram ficando famosas e atingindo milhões de acessos em seus clipes.

 

Se revezando entre teclados, violões e sopro, eles passeiam por essas pérolas e, mantendo a tradição de seresteiros, atendem aos pedidos do público e conversam com a plateia, transformando “Nossas Histórias” num encontro afetivo e musical.

 

 

Oswaldo Montenegro, banda e orquestra em “Nossas Histórias”

 

Misturando o peso das guitarras, teclados, baixo e bateria com o som clássico da orquestra, “Nossas Histórias” é um show em que Oswaldo Montenegro toca suas músicas mais conhecidas, comemorando quarenta anos de parceria com a flautista Madalena Salles.

 

“Bandolins”, “Lua e flor”, “Metade”, “Estrada nova”, “A lista”, “Intuição”, “Léo e Bia”, “Estrelas”, “Sem mandamentos”, “Travessuras” e tantas outras se incorporaram ao inconsciente coletivo do público brasileiro de forma definitiva e, na maioria delas, o solo da flauta foi composto simultaneamente com a melodia e a letra, sendo impossível pensar nessas canções sem lembrar as introduções e os solos. 

 

      Nessas quatro décadas de convívio, Montenegro e Madalena trabalharam em mais de trinta espetáculos teatrais, três longas-metragens, séries para TV, espetáculos de dança, e viveram infinitas histórias, retratadas no repertório que apresentam nesse espetáculo. No seu canal do Youtube, lançaram a websérie “Nossas Histórias”, que emprestou o título para essa turnê e na qual contam algumas dessas histórias que viveram juntos - as mais importantes, as mais engraçadas, as mais emocionantes.

 

Nesses novos tempos de internet, músicas como “A vida quis assim”, “A porta da alegria”, “Eu quero ser feliz agora”, “Me ensina a escrever”, “Sim” (trilha do seu novo filme “O perfume da memória”), “A lógica da criação” (trilha do seu segundo longa, “Solidões”) e outras, acabaram ficando famosas e atingindo milhões de acessos em seus clipes.

 

Se revezando entre teclados, violões e sopro, com o apoio da orquestra (arranjos de Sergio Chiavazzoli, Robespierre Simões e Oswaldo Montenegro), eles passeiam por essas pérolas e, mantendo a tradição dos seresteiros, atendem aos pedidos do público e conversam com a plateia, transformando “Nossas Histórias” num encontro afetivo e musical.

 

 

©2014 . Todos os direitos reservados  .  Desenvolvido por Agência Natural